domingo, 11 de novembro de 2007

abraços a braços

Não existem braços suficientes para descrever o abraço que damos a alguém que queremos confortar e que nos faz enfrentar o nosso maior medo... que por isso nos conforta...

Um abraço profundo, uma troca de carinho, lágrimas só duas ou três mas todas ao mesmo tempo... o verdadeiro sentido de pura amizade... "eu estava-me a portar tão bem..."

Tinha um olhar diferente e esboçou um leve sorriso que eu ainda não conhecia após anos de amizade e irmandade...
Olhei para os seus olhos e vi que sabia mais.... será que quem perde alguém que lhe deu vida, fica a saber mais.?.. tentei perceber, e pensei que talvez não tivesse perdido...
sofre a ausência...

Recordou-se, brincou-se, chorou-se, e não estava definida a hora de regresso...

O caminho de volta foi pior do que o que me levou a enfrentar o medo por excelência, levou tempo, foi feito por etapas, resolvi dar a volta maior e seguir por um jardim.

Cheguei diferente...

Não existem braços suficientes para descrever aquele abraço...

1 comentário:

Bicho disse...

Um enorme abraco deste lado ate esse lado mas sempre do teu lado, ao lado do teu braco, num forte abraco