sábado, 29 de setembro de 2007

a origem da coisa

Tudo, ou quase tudo, começou quando a minha mãe resolveu, grávida de oito meses, fazer uma enorme campanha de vacinação de gado pelo Ribatejo. Talvez por isso adore animais dos gatos às vacas (saltando as galinhas).. Mas retomando, avisei nessa altura, e por várias vezes, que isso do tempo era relativo e que nasceria assim que apetecesse, mesmo dentro de um jipe num qualquer descampado. Mas não, fui nascer onde toda a gente nasce, achei mais seguro. Marquei no entanto a minha posição, nasci antes de chegar a médica, a uma velocidade alucinante, tendo o primeiro embate da vida sido contra a barriga de uma enfermeira incrédula. Disse a minha mãe: eu avisei!! e eu... assinei por baixo.

A partir daí, foi tudo mto rápido, até o meu irmão usava a minha rapidez como algo depreciativo e dizia: SUA RÁPIDA!!!!!! sempre que me queria insultar... Mas foram marcantes aqueles meses, ainda empacotada, em que tive contacto com animais. Toda a vida quis ser veterinária, mas... no dia D, lembrei-me de uma frase da minha mãe: porque é que os animais não vão ao médico sózinhos??? hummmmmmmm (fez-me sentido), pensei... ok, são então animais sem dono que eu quero, escolhi biologia!!!!!!!!!!! a parte da biologia marinha é mais complicada de explicar, está entranhada, cresci com o mar em frente e ao lado e por todo o lado, não me ocorreu nenhuma outra biologia.

A rapidez inata foi-se desvanecendo nas acções, mas não nos pensamentos, penso sempre e muito e em tudo e ao mesmo tempo... riu-me sózinha vezes demais pra quem está a ver, mas não me importo. Nas acções sou ainda extremamente rápida na forma como me perco em qualquer lado, impressionante, num minuto sei onde estou, no outro não, e à distância de 2 passos. Esta caracteristica é brutalmente irritante para os outros mas não pra mim que digo sempre, quem tem boca vai a Roma, e se não houver ninguém... na dúvida sigo em frente!!!

Aprendi recentemente, uma coisa importante no que respeita à forma de pensar... adequar o pensamento! Já consigo, folgo em informar!!!! Até pensar requer alguma ordem, e sentido, o que me faz lembrar uma frase utilizada por um amigo depois de ler um livro que lhe ofereci:
procura-se sentido, não causas nem razões, sentido!!!
Devo dizer que voltei a ler o livro e não fiquei assim tão sábia, não teve em mim o mesmo efeito... talvez porque pra mim as causas e razões sejam importantes na definição do sentido... talvez tenha adormecido na hora H... :)

Adiante, sobre mim mim... qto à simpatia e coisas do género, não sei, não sou imparcial. Tenho a certeza de que sou fã das pessoas que me rodeiam, prefiro sem dúvida ver-me reflectida nos olhos dos outros do que num qualquer espelho. O mau feitio, é tb um facto pouco saudável, está melhor, aquilo de adequar o pensamento é mesmo verdade e resulta. Contestatária militante desde o berço, potencial terrorista, tinha 5 anos qdo fui apanhada a apedrejar uns certos tipos cujo hobby era mandar cães matarem gatos, os meus pais depois de passarem por mim fingindo não me conhecerem, disseram-me qq coisa que resultou e nunca mais me atrevi a agir pela força, passando a usar a palavra. O que tb precisou de uma orientação depois de insultar o meu próprio pai dizendo: tu não és um pai! és um Home!!! Hoje mais serena, e aparentemente contida, já se passaram uns anos e todos esses pequenos delitos já prescreveram. É preciso não puxar demasiado a corda.... dobra e estica mas não parte...volta é à sua posição inical com mais energia cinética...bate mais em mim que nos outros, mas nunca fiando...

Tive a sorte de sofrer o primeiro embate logo à nascença de forma que qualquer ilusão de que viver cá fora seria fácil se desvaneceu logo ali, no primeiro minuto. Aceitei o desafio de forma consciente e informada!!!

No fundo e resumindo, vivo, cada minuto conta, na vida só a morte é que é certa e por vezes faz-nos tangentes. Tudo requer trabalho, a selecção social tem favorecido os espertos de forma que nós, as pessoas pra quem o trabalho chega a ser uma causa e que lutam pela vida e pelos outros, temos que ser resilientes, acreditar na força e no poder da vontade!
Isto lembra-me uma citação pertinente:
há pessoas a quem a vida acontece
há outras que fazem a vida acontecer
e outras há que perguntam: o que é que aconteceu???
gosto de pensar que estou na segunda categoria.

5 comentários:

Bicho disse...

E tu aconteceste-me!

Anónimo disse...

AMIGA!! Escreveste pa!!!

olha, somos tao diferentes, mas tao diferentes.... mas o k sei e k es uma eterna amiga, a amiga mais carola, provavelmete a amiga k mais admiro e respeito. Mereces ser mt feliz!

bjs paty

Bicho disse...

Acontece-me todos os dias pensar em ti e em quanta falta me fazes! Beijos de pôr do sol :)

Anónimo disse...

Como já te disse "pessoalmente", a julgar por este 1º post este blog promete!
Dá-le!!!
jokas,
C ;)

Anónimo disse...

Delicioso Inês... lembro-me de, em Maputo, teres montado uma banca com montinhos de coisas que não me lembro o quê, mas que mostravam a tua capacidade de adaptação ao meio. Grande Beijo Inês, e muitas Felicidades. Graça Meneses